Subscribe:

Pages

terça-feira, 24 de abril de 2018

Relatório da OIT - Melhorar a Segurança e a Saúde dos Trabalhadores Jovens


28 DE Abril de 2018 Dia Mundial Da Segurança e Saúde no Trabalho


Divulgamos no nosso Blog SST a "introdução" deste relatório da OIT, agurdando a sua disponibilização oficial.


Introdução:

“ Segundo as últimas estimativas disponibilizadas pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), 2,78 milhões de trabalhadores e trabalhadoras morrem todos os anos devido a acidentes de trabalho e doenças relacionadas com o trabalho. Cerca de 2,4 milhões (86,3 por cento) destas mortes são causadas por doenças profissionais, enquanto mais de 380.000 (13,7 por cento) resultam de acidentes de trabalho. Há, todos os anos, quase mil vezes mais lesões causadas por doenças e acidentes não mortais do que por acidentes mortais. Estima-se que estas lesões não mortais afetem 374 milhões de trabalhadores anualmente, sendo que muitas delas têm consequências graves na capacidade dos/das trabalhadores/as para obtenção de rendimentos a longo prazo.

Os/as trabalhadores/as jovens apresentam uma taxa de acidentes profissionais significativamente superior à dos/as trabalhadores/as menos jovens. De acordo com dados europeus, a incidência de acidentes não mortais em contexto de trabalho é mais de 40 por cento superior entre os/as trabalhadores/as jovens, com idades entre os 18 e os 24 anos, do que entre os/as trabalhadores/as menos jovens (EU-OSHA, 2007). Nos Estados Unidos, a probabilidade de os ou as trabalhadoras jovens com idades entre os 15 e os 24 anos virem a sofrer um acidente de trabalho não mortal, é aproximadamente duas vezes superior ao dos/as trabalhadores/as com 25 anos de idade ou mais (CDC, 2010).

Paradoxalmente, tendo em conta o que foi referido anteriormente, as estatísticas indicam que a incidência de doenças profissionais é inferior entre os/as trabalhadores/as jovens quando comparada com os/as restantes trabalhadores/as. Esta circunstância não se deve ao facto de os/as trabalhadores/as jovens terem uma maior resistência às doenças profissionais. Os trabalhadores e as trabalhadoras jovens são, na realidade, mais vulneráveis a doenças profissionais porque estão ainda a desenvolver-se, tanto física como mentalmente, e isso, torna-os/as mais suscetíveis aos danos causados por produtos químicos perigosos e outros agentes. A menor incidência de doenças profissionais entre os/as trabalhadores/as jovens é, muito provavelmente, devido ao facto de as doenças profissionais ocorrerem geralmente apenas após exposição prolongada e/ou um período de latência. Por outro lado, é difícil obter dados fiáveis sobre as doenças profissionais, incluindo dados relativos a doenças profissionais causadas pela exposição a perigos no local de trabalho durante a juventude (EU-OSHA, 2007).

Além de causarem um sofrimento humano inestimável, os acidentes de trabalho e as doenças profissionais constituem um custo económico significativo, ascendendo a uma perda anual estimada de 3,94 por cento do PIB mundial (ILO, 2017c). Para a sociedade, os custos dos acidentes graves sofridos pelos/as trabalhadores/as jovens e a longo prazo e as incapacidades que deles resultam, pode ser muito mais elevados de que os relacionados com os/as trabalhadores/as menos jovens que sofrem acidentes similares.
As consequências das lesões causadas por acidentes ou doenças profissionais, são mais graves quando ocorrem no início da vida profissional. Um/a trabalhador/a jovem com uma incapacidade permanente ou temporária de longo prazo, pode deixar de ser um membro ativo da sociedade e fazer pouco uso da educação e da formação que recebeu.”

Fonte: Relatório da OIT








Dia 28 de abril - Dia Nacional de Prevenção e Segurança no Trabalho


sexta-feira, 20 de abril de 2018

Napo e as substâncias perigosas


E porque a nova Campanha 2018-19 - Locais de trabalho saudáveis: gerir as substâncias perigosas, está quase a iniciar, divulgamos o filme do Napo e as substâncias perigosas.

 Parte 1

O Napo aparece numa série de pequenas animações a trabalhar com substâncias químicas que são irritantes, inflamáveis, corrosivas, tóxicas ou perigosas para o ambiente. Cada uma das animações é seguida por uma breve sequência que mostra como evitar os acidentes, adotando práticas de trabalho seguras.

Este filme é adequado para todos sectores e níveis de empregados, em especial para os jovens em formação ou em estágio. O objetivo é chamar a atenção para a importância da rotulagem das substâncias químicas.

O Napo é confrontado com a utilização de substâncias químicas. Seis sequências mostram primeiro os procedimentos incorrectos e, depois, os procedimentos corretos respeitando as instruções de segurança. O filme cobre seis dos nove símbolos de segurança e foca brevemente o risco dos explosivos.




Estados Unidos: Doença do pulmão negro em ascensão




Um artigo publicado a 6 de fevereiro de 2018 no Jornal da Associação de Médicos Americana noticiou que os investigadores do Instituto Nacional para a Segurança e Saúde no Trabalho identificaram 416 casos de elevada fibrose progressiva, habitualmente designada por “doença do pulmão negro”, entre os mineiros de carvão dos Apalaches centrais entre 2013 e 2017.

Até recentemente, tem sido rara a ocorrência de novos casos de pulmão negro, mas este estudo sugere que a incidência está a aumentar.

Leia o artigo completo aqui.


Avaliação técnica da expansão do 2º Inquérito Europeu às Empresas sobre Riscos Novos e Emergentes (ESENER-2)



Este relatório delimita as conclusões de uma avaliação técnica detalhada feita ao segundo Inquérito Europeu às Empresas sobre Riscos Novos e Emergentes (ESENER-2).

 A avaliação foi solicitada a fim de averiguar, em particular, o impacto da expansão do universo inquirido, de modo a incluir micro-empresas e empresas nos setores agrícola, florestal e pesqueiro. 

A inclusão destas empresas não parece ter reduzido a qualidade dos dados. Este é um passo importante rumo ao desenvolvimento de uma base de evidências fiável, dado que estas empresas contribuem de forma significativa para a economia.

O relatório também inclui algumas recomendações de melhoria para os procedimentos de amostragem que podem ser implementados antes do ESENER-3.

Descarregue o relatório aqui.

Comissão Europeia toma medidas adicionais para proteger melhor os trabalhadores contra o cancro no trabalho





A Comissão propôs que se limitasse a exposição dos trabalhadores a mais cinco agentes químicos cancerígenos, além dos 21 já visados desde o início do mandato. 

As previsões indicam que a proposta agora feita irá melhorar as condições de trabalho de mais de um milhão de trabalhadores europeus e prevenir mais de 22 mil casos de doenças profissionais. 

Esta medida insere-se no âmbito dos esforços contínuos da Comissão no sentido de melhorar a proteção dos trabalhadores face a químicos nocivos, de modo a prevenir mais casos de cancro relacionado com o trabalho, bem como outros problemas de saúde.

Aceda aqui ao comunicado de imprensa da Comissão Europeia.

Sessão de Lançamento das Comemorações DNPST // Marinha Grande



No próximo dia 28 de abril e à semelhança dos anos anteriores, a ACT irá promover a Sessão de Lançamento das Comemorações do DNPST 2018. Esta terá lugar na Escola Secundária Calazans Duarte, na Marinha Grande.


Este ano a Organização Internacional do Trabalho, escolheu como tema de campanha do Dia Mundial para a Segurança e Saúde no Trabalho: “Generation Safe & Healthy” através da promoção de uma cultura de segurança e saúde no trabalho, junto da atual e próxima geração de trabalhadores.

A Sessão de Lançamento das Comemorações do Dia Nacional de Prevenção e Segurança no Trabalho, irá decorrer no Auditório da Escola Secundária Calazans Duarte, na Marinha Grande e contará necessáriamente com a participação dos Parceiros Sociais, numa mesa redonda subordinada ao tema: 


 “O Perfil do Aluno: como fomentar a cultura de prevenção na próxima geração de trabalhadores”. da parte da UGT marcará presença neste debate a responsável pelo pelouro da SST, Vanda Cruz.